Saúde Mental x Isolamento Social

A verdade é que 2020 mal começou e nos vimos em uma situação bastante incomum e delicada: o isolamento social. Seguir a risca as recomendações da OMS para conter o avanço da Covid-19 nunca foi tão importante, mas em meio a  tanto “álcool em gel”, “máscaras” dentre outras precauções, o cuidado com nossa saúde mental tem ficado em segundo plano. Mas como preservar nosso psicológico nestes tempos?

Nós, brasileiros, que nunca vivenciamos uma Guerra Mundial, nos deparamos com um inimigo invisível que já levou a vida de pelo menos 16.000 brasileiros. E as consequências não são apenas mortes, apesar desta ser a pior parte, mas também dos efeitos nocivos à economia e as mudanças radicais na rotina da população.

Se antes mesmo do coronavírus chegar, já éramos apontados pela OMS o país mais ansioso do mundo. E agora? O que eu, como indivíduo posso fazer em prol do meu bem estar?

Filtre as notícias

Um dos principais fatores de ansiedade é o excesso de informação, tendo isso em vista, limite o tempo de exposição às notícias sobre o assunto. Evite ler tudo e qualquer matéria publicada, procure por fontes confiáveis para se informar. Tire um horário do dia para saber o que está acontecendo, caso contrário, você passará o dia todo angustiado só pensando na epidemia.

Tenha uma rotina

Definir uma nova rotina é uma tática super eficiente para lidar com o momento e manter a mente ativa e positiva. Se organize e seja capaz de executar suas tarefas e atividades durante o dia. Ficar sem fazer nada pode gerar tristeza e ansiedade.

Para aqueles que tem a opção de trabalhar de casa, não faça do home office uma desculpa para trabalhar mais horas do que o devido nem se alimentar mal. Lembre-se que são momentos difíceis e não estamos participando de uma competição de produtividade. Dê o seu melhor, mantenha-se saudável e respeite seus limites.

Mantenha o contato social, mesmo à distância 

Agora é a hora de tirar proveito do que a tecnologia pode nos oferecer. Estamos na mesma situação, o isolamento é para todos, sendo assim conecte-se, compartilhe seu dia e suas experiências, mantenha contato com parentes e entes queridos e saiba pedir ajuda se achar necessário. Acredite, você não está sozinho, e estar junto não significa estar perto –  não fure o isolamento! 

Lembre-se do autocuidado

Reserve diariamente um tempo para o autocuidado. Ouça a música que adora, assista a um episódio da sua série favorita, medite, relaxe, cozinhe, se exercite. Faça aquilo que te dê prazer e alegria, independente do que seja.

Tire a pressão sobre você e respeite seu tempo para processar tudo o que está acontecendo à sua volta.

Respeite e valorize quem não pode se isolar 

Ainda que muitos lamentam a medida do isolamento e achem esta extremista demais, há quem esteja sofrendo justamente por não poder ficar em casa, como  profissionais da saúde, frentistas, motoqueiros do aplicativo de entrega, funcionários de supermercados e farmácias.

Respeite o trabalho destas pessoas e  faça sua parte ficando em casa. Saia somente se necessário.

Ajuda profissional  

E finalmente, como não sabemos ao certo até quando o isolamento irá durar, fique de olho nos perfis de profissionais da área da saúde que tem se colocado à disposição para tirar dúvidas e diminuir essa aflição.  A terapia é uma grande aliada em diferentes momentos de nossas vidas. Um profissional especializado pode ser essencial para te ajudar a lidar com o medo, ansiedade e pânico excessivos, portanto, não hesite em procurar um profissional da área ao menor sinal de problemas.

Somente cada indivíduo é capaz de  saber o nível de stress que o afeta e o quanto consegue suportar, sendo assim não faça julgamentos e seja empático. Se você tem levado o isolamento numa boa, que bom. Mas você não é todo mundo.